Copacabana Runners

Amebíase - Transmissão, sintomas, tratamento e diagnóstico

O que é amebíase

A amebíase é uma doença causada por uma ameba parasita unicelular chamada Entamoeba histolytica.

Quem está sob risco de amebíase

Embora qualquer um possa ter amebíase, ela é mais comum em pessoas que vivem em áreas tropicais de condições sanitárias ruins.

Como é a transmissão da amebíase

A pessoa pode contrair amebíase:
* Ao colocar qualquer coisa na boca que tocou em fezes de alguém infectado pela E. histolytica.
* Ao engolir algo, como água ou comida, que esteja contaminado com E. histolytica.
* Ao tocar a levar à boca cistos (ovos) de E. histolytica obtidos de superfícies contaminadas.

Sintomas da amebíase

Somente de 10% a 20% das pessoas infectadas por E. histolytica ficam doentes. Os sintomas da amebíase geralmente são moderados e podem incluir diarréia, dor estomacal e cólicas estomacais. A disenteria por amebíase é uma forma severa da doença associada a dor estomacal, fezes com sangue, e febre. Em ocasiões raras, E. histolytica pode invadir o fígado e formar um abscesso. Ainda mais raramente, E. histolytica pode se espalhar para outras partes do corpo, como pulmões ou cérebro.

Se a pessoa ingerir E. histolytica, com que rapidez ficará doente?

Somente de 10% a 20% das pessoas que foram infectadas ficam doentes. Das pessoas que ficam doentes com amebíase, os sintomas geralmente desenvolvem dentro de 2 a 4 semanas, apesar disso poder variar para muitas semanas ou mais. 

Diagnóstico da amebíase

O médico pedirá exame de fezes para diagnóstico. Uma vez que E. histolytica nem sempre é encontrada em cada amostra de fezes, o médico pode pedir várias amostras de vários dias. O diagnóstico da amebíase pode ser difícil. Um problema é que outros parasitas e células podem parecer com a E. histolytica quando vistos sob o microscópio. A Entamoeba histolytica e outra ameba Entamoeba dispar, a qual é 10 vezes mais comum, parecem iguais sob o microscópio. Porém, infecção pela E. dispar não deixa a pessoa doente e desta forma não precisa de tratamento. Infelizmente, a maioria dos laboratórios ainda não possui testes para distinguir entre infecção por E. histolytica ou E. díspar. 

Teste de sangue também está disponível, mas somente é recomendado quando o médico achar que a infecção se espalhou para além do intestino a outro órgão do corpo, como o fígado. Porém, o teste de sangue também pode não ser conclusivo no diagnóstico, uma vez que ele dá positivo se a pessoa teve amebíase no passado mas não está infectada atualmente.

Tratamento da amebíase 

Existem vários antibióticos disponíveis para o tratamento de amebíase. O tratamento precisa ser prescrevido por um médico. O paciente é tratado com somente um antibiótico se a infecção por E. histolytica não o deixou doente. O paciente provavelmente será tratado com dois antibióticos (primeiro um depois outro) se a infecção o deixou doente.

A pessoa com amebíase pode espalhar a doença para o resto da família?

Sim, pode-se passar a amebíase para outras pessoas. Porém, esse risco é pequeno se a pessoa for tratada com antibióticos e praticar boa higiene. Isso inclui lavar cuidadosamente as mãos depois de usar o toalete, depois de trocar fraldas, e antes de manusear alimentos.


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:



Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus

Artigos relacionados:
Intoxicação Alimentar
Salmão e risco de contaminação
Dor abdominal
Difteria
Alimentação Saudável
Botulismo
Dor de Barriga
Soro Caseiro
Diarréia em crianças e bebês
Diarréia crônica
Diarréia - Causas, sintomas, tratamento, conduta nutricional
Aprovada vacina contra diarréia por rotavírus
Gastroenterite aguda - Tratamento em crianças com terapia de reidratação oral
Gastroenterite viral
Hepatite A, B, não A não B, C, D, E, virais, por drogas, autoimune
Antibióticos - uso incorreto pode levar a infecção generalizada
Sistema imunológico
Leptospirose - Sintomas, transmissão e tratamento
Leptospirose
Doença do peixe cru - Difilobotríase
Cólera
Quem deve se vacinar contra febre amarela
Rotavírus
Enterobíase ou infecção por oxiúros - Sintomas e tratamento
Amarelão ou Ancilostomíase
Verminose por lombriga ou ascaríase
Lombriga e Ascaridíase
Esquistossomose
Febre Tifóide
Calafrios - O que são, causas
Ciclo da malária
Sintomas da malária sem complicações e severa
Febre Amarela
Leishmaniose visceral e cutânea
Doença do Sono - Tripanossomíase africana e trypanossoma
Doença de Chagas - Transmissão pelo barbeiro, diagnóstico
Doença de Chagas
Dengue
Toxoplasmose na gravidez
Toxoplasmose
Infecção Alimentar
Brucelose - Febre de Malta
Ovos - Dieta e Ovo
Giardíase - Infecção por Giárdia
Síndrome hemolítico-urêmica - O que é, causas, sintomas, tratamento
Escherichia coli
Intoxicação por Salmonela - Salmonelose
Intolerância à lactose - O que é, causas, sintomas, controle
Intolerância à lactose
Lupus e gravidez
Síndrome de Guillain-Barré
Doença celíaca ou alergia ao glúten
Doença celíaca
Lupus - Causas, sintomas, diagnóstico
Lupus - Tratamento
Lúpus eritematoso sistêmico
Disenteria bacteriana e amébica
Colite ulcerativa - Tratamento e diagnóstico
Colite ulcerativa - Sintomas e causas
Colite colagenosa e linfocítica
Hematospermia ou sangue no esperma
Sangue na urina ou hematúria
Hemofilia A e B
Hemofilia - Sinais e sintomas
Hemofilia - Diagnóstico
Tratamento da hemofilia
Hemorragia digestiva alta e baixa - Causas
Hemorragia digestiva - Diagnóstico e tratamento
Hemorragia digestiva alta e baixa, aguda e crônica - Sinais e sintomas
Sangramento retal - Tratamento, causas, sintomas
Sangue nas fezes - Melena ou hematoquesia
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2009, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Texto: Centers for Disease Control and Prevention