Anfetaminas

Cérebro - NIMH

O que são anfetaminas

As anfetaminas, e substâncias relacionadas como meta-anfetaminas, são um grupo de drogas que agem elevando os níveis de serotonina, noradrenalina e dopamina no cérebro. Anfetaminas estão presentes em remédios sob prescrição médica para tratar transtorno de déficit de atenção e transtorno de déficit de atenção com hiperatividade em adultos e crianças. 

Anfetaminas também são usadas para tratar lesão traumática no cérebro, sonolência diurna, narcolepsia e síndrome de fadiga crônica. Inicialmente, as anfetaminas eram populares como inibidores de apetite usadas para emagrecer. Entretanto, hoje em dia, seu uso para emagrecimento não é recomendado devido à dependência e efeitos colaterais. Além do uso médico controlado, as anfetaminas são utilizadas ilegalmente como droga estimulante e doping.

PUBLICIDADE

Anfetaminas para desordem de déficit de atenção com hiperatividade

As anfetaminas fazem parte do tratamento para desordem de déficit de atenção com hiperatividade. Os efeitos benéficos das anfetaminas para desordem de déficit de atenção com hiperatividade incluem controle da impulsividade, melhora da concentração, diminuição da super-estimulação sensorial, da irritabilidade e da ansiedade. Esses efeitos são fortes na elevação da produtividade de adultos e crianças. O remédio Adderall é composto por quatro sais de anfetaminas diferentes.

Outras indicações das anfetaminas

As anfetaminas também fazem parte do tratamento para narcolepsia, assim como outras distúrbios do sono. Se utilizada dentro dos limites terapêuticos, as anfetaminas são geralmente eficientes durante longos períodos de tempo sem produzir vício ou dependência física. Anfetaminas são algumas vezes suadas para potencializar a terapia anti-depressão em pacientes resistentes ao tratamento. O uso de anfetaminas para emagrecer é considerado em muitos países como sendo obsoleto e perigoso.

PUBLICIDADE

Contra-indicações das anfetaminas

Estimulantes, como as anfetaminas, elevam o gasto cardíaco (volume de sangue bombeado pelo coração) e pressão sanguínea, o que os torna perigosos para pacientes com histórico de doença cardíaca ou hipertensão

Pacientes com histórico de dependência de drogas ou anorexia também não devem ser tratados com anfetaminas, devido às suas propriedades de dependência e supressão de apetite. Anfetaminas podem causar complicações em pacientes tomando antidepressivos inibidores da monoamina oxidase. Anfetaminas também não são indicadas para pacientes com histórico de glaucoma. Uma vez que anfetaminas podem passar através da amamentação, mulheres que estão tomando medicamentos com anfetaminas são alertadas para não amamentar seu bebê durante o tratamento.

Efeitos colaterais físicos das anfetaminas

Os efeitos físicos das anfetaminas podem incluir: redução de apetite, sensações aumentadas ou distorcidas, hiperatividade, pupilas dilatadas, rubor, agitação, boca seca, disfunção erétil, dor de cabeça, taquicardia, batimento cardíaco elevado, aumento da pressão sanguínea, febre, suor, diarréia, constipação, visão turva, fala prejudicada, tontura, movimentos incontrolados, tremor, insônia, palpitações e arritmia. Em altas doses, ou uso crônico, pode ocorrer: convulsão, pele seca, acne e palidez. O abuso de anfetaminas também pode aumentar o risco de ataque cardíaco.

Efeitos colaterais psicológicos das anfetaminas

Os efeitos psicológicos das anfetaminas incluem: ansiedade, nervosismo, euforia, percepção de energia elevada, comportamento repetitivo, excitabilidade, sensação de poder ou superioridade. Ocasionalmente há psicose por anfetaminas, geralmente com doses altas ou uso crônico.

Efeitos da interrupção do uso de anfetaminas

Quando anfetaminas são usadas indevidamente sem supervisão médica, a sua interrupção pode causar efeitos de abstinência, que podem incluir: ansiedade, depressão, agitação, fadiga, sono excessivo, apetite aumentado, psicose e pensamentos suicidas.

Doping com anfetaminas

Anfetaminas também são usadas indevidamente como doping de atletas devido ao seu efeito estimulante. Os níveis de energia são percebidos com dramaticamente aumentados e sustentados, o que dá a impressão de permitir esforço físico mais vigoroso e longo. Entretanto, pelo menos um estudo descobriu que esse efeito não é mensurável. O uso de anfetaminas durante atividade física extenuante pode ser extremamente perigoso, especialmente quando combinado com álcool.

Saiba mais:
Biologia da dependência - Álcool e drogas podem sequestrar seu cérebro
Remédios e medicamentos para emagrecer
Sibutramina
Femproporex
Dietilpropiona - Anfepramona
Emagrecer rápido não é saudável
Dicas simples para ajudar a emagrecer
Plano para emagrecer
Saiba porque é preciso manter o peso dentro da normalidade - Coma para viver e não viva para comer
Como Manter o Emagrecimento
Como Perder Peso
Emagrecer sem dieta ou exercício físico
Doping e testes anti-doping
Neurotransmissores serotonina, dopamina, noradrenalina e bem-estar
Taquicardia
Barbitúricos
Paranóia
Alucinação - Alucinações visuais, auditivas - Causas e tratamento
Esquizofrenia paranóide


PUBLICIDADE




Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:



Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2008, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Este artigo está licenciado sob a GNU Free Documentation License (www.gnu.org/copyleft/fdl.html). Usa material do artigo da Wikipédia "Amphetamine" (en.wikipedia.org/wiki/Amphetamine).