Antiinflamatórios não-esteróides

Pílulas - NIH

O que são antiinflamatórios não-esteróides

Os antiinflamatórios não-esteróides são freqüentemente usados por pessoas com lesões. Esses antiinflamatórios são usados para controlar a inflamação imediata depois de uma lesão, ou para controlar inflamação crônica.

Tipos de antiinflamatórios não-esteróides

Há muitos tipos de antiinflamatórios não-esteróides. Alguns mais comuns na lista de antiinflamatórios não-esteróides incluem aspirina, ibuprofeno (Advil) e naproxeno sódico. Para entender como os antiinflamatórios não-esteróides funcionam no seu corpo é preciso compreender o que acontece depois de uma lesão.

PUBLICIDADE

O que acontece depois de uma lesão

Quando a pessoa sofre uma lesão o corpo reage imediatamente. 

Primeiro, perto do local da lesão, os vasos sanguíneos constringem (fecham). Essa constrição dura pelo primeiros 5 a 10 minutos depois que a lesão ocorre. 

Depois disso os vasos sanguíneos dilatam, ocasionando aumento na quantidade de fluxo sanguíneo na área lesionada, assim como a produção de químicos que provocam dor. Esses químicos atraem leucócitos, os quais são células brancas que limpam o tecido danificado. Essa ação causa elevação da oxigenação na área. Prostaglandinas então desenvolvem, as quais desempenham papel importante na inflamação e são o único químico inibido pelo uso de antiinflamatórios não-esteróides. Prostaglandinas elevam o fluxo de sangue e permeabilidade do tecido, assim como aumentam a sensação de dor de 10 a 80 vezes (Hertal, Journal of Athletic Training). 

PUBLICIDADE

Há outros químicos que fazem as mesmas coisas que as prostaglandinas. Durante a inflamação esses outros químicos são levados ao local da lesão por um caminho diferente das prostaglandinas. Isso significa que, apesar dos antiinflamatórios não-esteróides poderem interromper as prostaglandinas no processo inflamatório, eles não interrompem todo o processo. Entretanto a pergunta permanece, precisamos de toda essa inflamação depois da lesão para ajudar no processo de cura?

Estágios da cura de lesões

A inflamação é importante durante o primeiro estágio da lesão. Inflamação coleta células apropriadas necessárias para reparar e limpar o tecido danificado. Esse estágio da lesão, a fase aguda, geralmente dura de 24 a 36 horas e então é seguida pela fase de reparação, a qual dura entre 7 e 10 dias. Durante essa segunda fase, o corpo remove o tecido danificado da área e prepara o local para formação de novo tecido. O tecido danificado será reconstruído no final da fase de reparação e então entra-se na fase de maturação, a qual pode durar de 1 mês a 2 anos, dependendo da lesão. O novo colágeno é produzido e depois novo capilares (vasos sanguíneos) são estabelecidos. 

Quando deve-se tomar antiinflamatórios não-esteróides para reduzir a inflamação?

Cada pessoa terá quantidade diferente de inflamação dependendo da lesão. Inflamação é necessária para curar a lesão, porém pode não ser bom se a área permanecer inflamada por muito tempo. Por isso que os antiinflamatórios não-esteróides são controversos. Existem duas opiniões. Uma é de que antiinflamatórios não-esteróides não devem ser tomados até 2 a 3 dias depois da lesão, a fim de permitir ao corpo tempo para a inflamação natural imediata.

A outra corrente de opinião é que os antiinflamatórios não-esteróides devem ser tomados no começo da lesão para diminuir a quantidade de inflamação imediata. Essa corrente acredita que diminuir a inflamação acelerará o tempo de recuperação. Antiinflamatórios não-esteróides geralmente ajudarão em inflamações crônicas, porém a decisão de usa-los deve ser tomada com o médico.

Saiba mais:
Dipirona Sódica - Novalgina, Neosaldina, Buscopan Composto
Reduzir o risco de doença cardíaca e aspirina
Aspirina para mulheres
Gastrite - Causas, diagnóstico, estresse, comidas apimentas e leite
Dor nas costas
Ciática - Irritação e dor no nervo ciático
Glicosamina - Glucosamina
Sulfato de Condroitina
Alongamento e fibromialgia
Artrose - Osteoartrite
Ergonomia nas empresas e conceito
Lesões por esforço repetitivo - LER
Meniscos - Lesões, cirurgia e tratamento
Lesões por superuso x Lesões traumáticas
Psicologia e respostas emocionais a lesões esportivas


PUBLICIDADE




Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:

Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2009, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Texto: Nasa