Como a arte afeta sua saúde física e mental

Pessoas pintando quadros - NIH

Por milhares de anos, as pessoas têm buscado o significado e beleza da vida na música, pintura, poesia e outras artes. Agora, cientistas estão descobrindo que as artes podem beneficiar tanto a nossa saúde mental quanto física.

Pesquisas atuais estão seguindo alguns caminhos diferentes. Alguns cientistas medem as substâncias naturais que nosso corpo produz quando estamos escutando música ou expostos às artes. Outros examinam o que acontece quando você está ativo em um processo criativo. Pesquisadores estão agora investigando como as artes podem nos ajudar a recuperar de doenças, lesões e trauma psicológico. Muitos cientistas concordam que as artes ajudam a reduzir o estresse e ansiedade, melhorar o bem-estar e ajudar no combate a infecções.

PUBLICIDADE

Influência da música na saúde

Vamos começar com a música. “Há um sistema de recompensa no aprendizado musical”, diz Dr. Daniel Levitin da Universidade McGill em Montreal. A música pode ativar algumas áreas do cérebro como o chocolate e orgasmo. Lógico que em intensidade diferentes!

Música desempenha um papel importante através da vida. Em todo o mundo os pais cantam para seus bebês. E não devemos nos esquecer a outra extremidade no ciclo da vida. Dr. Levitin diz que a música “pode ser a última coisa a ser perdida” naqueles com perda grave de memória decorrente de doença de Alzheimer. “Mesmo que as pessoas com Alzheimer não reconheçam seu próprio marido ou esposa, elas podem cantar músicas da sua juventude”.

Estudos recentes encontraram evidência de que cantar libera substâncias que servem como os analgésicos naturais do nosso cérebro. Cantar também pode elevar hormônios que nos ajudam a ter sensação de confiança. E quando escutamos música, níveis de moléculas importantes para lutar contra infecção podem se elevar.

PUBLICIDADE

Muitos de nós intuitivamente usam música para relaxamento e prazer – para socializar, exercitar ou mudar de humor depois de um dia árduo. Porém, musicoterapia é algumas vezes usada em clínicas, com um terapeuta que interage com o paciente.

Para medir os efeitos da musicoterapia, um estudo mostrou como os níveis de uma substância importante do cérebro que libera sinais entre as células elevaram depois de 4 semanas de musicoterapia. Os níveis decaíram depois que a musicoterapia foi interrompida.

Um relatório recente de cientistas finlandeses mostrou que escutar música ajuda pacientes que sofreram AVC a recuperar a memória e concentrar a atenção. Os pesquisadores também descobriram que a música também poderia reduzir a depressão e confusão após um AVC. Outros estudos sugerem que pacientes em reabilitação para AVC podem melhorar mais rapidamente se cantarem.

Terapias com arte

Cientistas também estão estudando como terapia com arte pode ajudar a aliviar a dor e estresse, e melhorar a qualidade de vida. Megan Robb, terapeuta certificada da arte no Centro Clínico do NIH diz: “as memórias traumáticas são armazenadas no cérebro não como palavras, mas como imagens. A terapia da arte é adequada para acessar essas memórias”. Uma vez que você desenhar essas imagens, ela explica, pode então progredir para formar palavras e as descrever. Isso externaliza o trauma para a página e em interação positiva com o terapeuta. Esse processo, diz Robb, dá um envolvimento ativo ao paciente com sua própria recuperação.

Vários estudos menores têm sugerido que a terapia da arte pode ajudar a melhorar a saúde e qualidade de vida. Ela pode aliviar a depressão e fadiga em pacientes com câncer fazendo quimioterapia, e ajuda a prevenir estafa nos cuidadores. Também tem sido usada para ajudar a preparar crianças para procedimentos médicos dolorosos, assim como melhorar a fala daquelas com paralisia cerebral.

Em relação à escrita, escrever expressando eventos traumáticos, estressantes ou emocionais tem mostrado ter benefícios para a saúde, desde melhorar sintomas da depressão a ajudar a lutar contra infecções. Dr. James W. Pennebaker da Universiade do Texa em Austin, tem elaborado vários estudos para mostrar relação entre a escrita e a saúde.

“Escrever sobre impactos emocionais na nossa vida pode melhorar a saúde física e mental”, diz Dr. Pennebaker. “Embora a pesquisa científica sobre o valor da expressão pela escrita esteja ainda nas fases iniciais, há algumas abordagens à escrita que têm mostrado serem úteis”.

Em uma série de exercícios, estudantes saudáveis que se voluntariaram para escrever sobre experiências traumáticas tiveram melhor humor, menos doenças e melhores medições da função imunológica do que os que escreveram sobre experiências superficiais. Mesmo 6 semana depois, os estudantes que escreveram sobre o que os incomodava tiveram melhor humor e menos doenças do que aqueles que escreveram sobre suas experiência cotidianas.

Em outro estudo, envolvendo estudantes vulneráveis a depressão, aqueles que fizeram exercícios de expressão pela escrita mostraram sintomas significativamente menores, mesmo depois de 6 meses, do que aqueles que escreveram sobre questões cotidianas.

Artes que envolvem movimentos, como dança, também podem trazer benefícios à saúde. Pesquisadores já sabem que atividade física pode ajudar a diminuir o estresse, ganhar energia, dormir melhor e combater depressão e ansiedade.

Lembre-se que a arte não é substituta para ajuda médica. Porém, ela pode trazer benefícios à saúde. Se você gosta de escrever ou praticar alguma forma de arte, caia dentro! Você não precisa ser “bom artista” para que a arte seja boa para você.

Saiba mais:
Musicoterapia - Música é importante para o corpo e mente
Estresse e sua saúde
Como o estresse crônico afeta seu corpo e mente
Yoga - Dicas para prática e alívio do estresse
Reflexologia, tai-chi-chuan, ginástica Lian Gong e meditação
Ansiedade - Diagnóstico e Tratamento
Depressão - Diagnóstico, tratamento com antidepressivos
Emoções positivas e a sua saúde
Treine o seu cérebro e a emoção


PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: copyright © 2016 por Helio Augusto Ferreira Fontes
Texto: NIH - National Institutes of Health