Copacabana Runners

Bromelaína e bromelina

Abacaxi - National Cancer Institute Image Gallery

O que são bromelaína e bromelina?

A bromelaína refere-se às duas enzimas protease extraídas das plantas da família Bromeliaceae, a qual inclui o abacaxi. Bromelaína também pode se referir à combinação dessas enzimas com outros compostos produzidos em um extrato. 

A presença das enzimas protease no abacaxi foi detectada pela primeira vez em 1892 por Chittenden, que denominou o extrato de bromelina. Posteriormente, foi introduzido o termo "bromelaína", que definição qualquer protease de qualquer planta da família Bromeliaceae.

História da bromelaína

A bromelaína foi introduzida como suplemento terapêutico em 1957. Pesquisas sobre a bromelaína foram conduzidas primeiramente no Havaí, mas atualmente ela vem sendo estudada em vários países na Ásia, Europa e Américas. A Alemanha tem recentemente apresentado grande interesse nas pesquisas sobre a bromelaína, sendo esta atualmente um dos compostos de fitoterapia mais usados nesse país.

Fontes de bromelina

A bromelina está presente em todas as partes do abacaxi (Ananas comosus), porém o caule é o mais utilizado comercialmente. O abacaxi tem uma longa tradição na medicina natural de nativos das Américas do Sul e Central. Entretanto, somente comer abacaxi não fornecerá grandes quantidades de bromelina, uma vez que esta é mais concentrada no caule.

Uso médico da bromelaína

A bromelaína pode ser usada para uma vasta gama de condições médicos. Seu uso medicinal começou em 1957 e age bloqueando alguns metabólitos pró-inflamatórios que aceleram ou pioram o processo de inflamação. Uma vez que a bromelaína é um agente antiinflamatório, ela pode ser usado para traumas, lesões esportivas, artrite e outros tipos de inflamação. Seu uso principal é para tratamento de lesões em atletas, problemas digestivos, sinusite e aceleração da recuperação após uma cirurgia. 

Alguns estudos têm mostrado que a bromelaína pode ser útil na redução de coágulos na corrente sanguínea, especialmente nas artérias.

Efeitos colaterais da bromelaína

Os efeitos colaterais da bromelaína incluem náusea, vômito, diarréia, menorragia (menstruação excessivamente pesada) e possíveis reações alérgica. Um estudo também associou a bromelaína à elevação do batimento cardíaco. Suplementação de até 460 mg de bromelaína não mostrou efeitos na freqüência cardíaca, porém doses mais elevadas de até 1840 mg demonstraram elevar os batimentos cardíacos proporcionalmente.

Saiba mais:
Fitoterápicos
Fitoterapia





 

Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus

Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2008, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Este artigo está licenciado sob a GNU Free Documentation License (www.gnu.org/copyleft/fdl.html). Usa material do artigo da Wikipédia "Bromelain" (en.wikipedia.org/wiki/Bromelain).