Copacabana Runners

Depressão - Diagnóstico, tratamento com antidepressivos e psicoterapia

Ansiedade - WomensHealth.gov

Diagnóstico da depressão para tratamento

A depressão, até nos casos mais severos, é um transtorno altamente tratável. Assim como muitas doenças, quanto mais cedo o tratamento começar, mais eficiente e maiores serão as chances de prevenir recorrências.

O primeiro passo para obter o tratamento apropriado é visitar um médico. Certos remédios, e algumas condições médicas como virose ou desordem na tiróide, podem causar sintomas semelhantes à depressão. O médico pode eliminar essas possibilidades como causas dos sintomas, ou pode conduzir uma avaliação psicológica ou encaminhar o paciente para uma profissional da saúde mental.

O médico conduzirá uma avaliação diagnóstica completa. Ele perguntará sobre histórico familiar de depressão e fará um histórico completo dos sintomas. O médico também perguntará se o paciente está usando álcool ou drogas, e se pensa em morte e suicídio. Uma vez feito o diagnóstico, a pessoa com depressão pode receber tratamento por muitos métodos. Os tratamentos mais comuns são remédios e psicoterapia.

Medicação no tratamento de depressão - Antidepressivos

Os antidepressivos funcionam normalizando químicos que ocorrem naturalmente no cérebro chamados neurotransmissores, notavelmente serotonina e norepinefrina. Outros antidepressivos funcionam no neurotransmissor dopamina. Cientistas estudando a depressão têm descoberto que esses químicos particulares estão envolvidos na regulação do humor, mas ainda não estão certos das formas exatas de como eles funcionam.

Os novos tipos de medicamentos antidepressivos são chamados inibidores seletivos de recaptação da serotonina, e incluem fluoxetina (Prozac), citalopram (Celexa), sertralina (Zoloft) e muitos outros.

Para todas as classes de medicamentos antidepressivos os pacientes devem tomar doses regularmente por pelo menos 3 a 4 semanas antes de provavelmente começarem a sentir o efeito terapêutico total. Eles devem continuar a tomar medicamentos pelo tempo especificado por seu médico, mesmo quando se sentirem melhor, de modo a prevenir relapsos da depressão. A medicação somente deve ser interrompida sob a supervisão médica. Alguns medicamentos devem ser interrompidos gradualmente para dar ao corpo tempo para se ajustar. Algumas pessoas, como aquelas com depressão crônica ou recorrente, podem precisar tomar medicamentos indefinidamente.

Algumas vezes medicamentos estimulantes, ansiolíticos (contra a ansiedade) e outros são usados em conjunto com antidepressivos, especialmente se o paciente possui transtorno mental ou físico coexistente. Porém, nem a medicação estimulante nem a ansiolítica são eficientes no tratamento da depressão quando tomados sozinhos, e ambos devem ser usados somente sob supervisão médica.

Efeitos colaterais dos antidepressivos

Os medicamentos antidepressivos podem causar efeitos colaterais moderados e freqüentemente temporários em algumas pessoas, mas eles são incomuns a longo prazo. Porém, reações ou efeitos colaterais incomuns podem interferir com o funcionamento normal e devem ser relatados ao médico imediatamente.

O efeitos colaterais mais comuns associados a antidepressivos incluem:
* Dor de cabeça, geralmente temporária.
* Náusea, geralmente temporária.
* Insônia e nervosismo.
* Agitação.
* Problemas sexuais em homens e mulheres, como diminuição do libido, disfunção erétil, ejaculação demorada, ou incapacidade de obter o orgasmo.

Os antidepressivos tricíclicos também podem causar mais os seguintes efeitos colaterais:
* Boca seca.
* Constipação.
* Problemas na bexiga.
* Visão turva.
* Sonolência durante o dia.

Psicoterapia no tratamento da depressão

Vários tipos de psicoterapia podem ajudar pessoas com depressão. Alguns tratamentos com psicoterapia são curtos (10 a 20 semanas) e outros longos, dependendo das necessidades do indivíduo. Dois tipos principais de psicoterapia - cognitiva comportamental e terapia interpessoal - têm mostrado ser eficientes no tratamento da depressão. A psicoterapia cognitiva comportamental, ao ensinar novas formas de pensar e se comportar, ajuda a pessoa a mudar estilos negativos de pensamento e comportamento que podem contribuir com a depressão. A psicoterapia interpessoal ajuda a pessoa a compreender e trabalhar sobre relações pessoais problemáticas que podem causar sua depressão ou piorá-la. Para depressão moderada, a psicoterapia pode ser a melhor opção de tratamento. Porém, para transtornos depressivos mais graves, a combinação de medicamentos e psicoterapia provavelmente é o método mais eficiente de tratamento.

Terapia eletroconvulsiva para tratamento da depressão

Para os casos nos quais a medicação e/ou psicoterapia não ajudaram a aliviar a depressão, a terapia eletroconvulsiva pode ser útil. Essa terapia tinha má reputação, mas nos anos recentes melhorou bastante e pode proporcionar alívio para pessoas com depressão grave que não conseguiram se sentir melhor com outros tratamentos. A terapia eletroconvulsiva pode causar efeitos colaterais de curto prazo, como confusão, desorientação e perda de memória. Porém esses efeitos colaterais geralmente vão embora logo depois do tratamento.

Saiba mais:
Distimia e depressão
Depressão e o Desejo Sexual
Depressão - Tipos
Depressão - Sintomas e causas
Alimentos para espantar Depressão - Triptofano, Folato, Camomila ...
Depressão em idosos
Depressão na terceira idade
Estresse e sua saúde
Depressão pós-parto
Depressão infantil
Transtorno Bipolar ou Psicose Maníaco Depressiva
Autismo
Lexotan - Bromazepam
Valium ® - Diazepam
Ritalina - Metilfenidato
Sertralina - Zoloft
O bom humor está na cozinha
Antidepressivos
Transtornos de ansiedade - Tipos e tratamentos



Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2009, Hélio Augusto Ferreira Fontes
Texto: National Institute of Mental Health (NIMH)