Copacabana Runners

Derrame cerebral - Acidente vascular cerebral - AVC

Cérebro - NIH

O que é derrame cerebral ou acidente vascular cerebral (AVC)?

Um acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido também como derrame cerebral, ocorre quando o circulação sanguínea para o cérebro falha. Então, as células cerebrais podem morrer devido à diminuição no fluxo sanguíneo e da decorrente falta de oxigênio. Há duas categorias gerais de AVC: aqueles causados pelo bloqueio do fluxo sanguíneo e aqueles decorrentes de sangramento. 

O bloqueio de um vaso sanguíneo no cérebro ou pescoço, ainda que geralmente não fatal, é a causa mais freqüente de AVC, sendo responsável por em torno de 80% dos casos. Isso é chamado AVC isquêmico. Esse bloqueios são resultado de três condições: formação de coágulo sanguíneo dentro de vaso no cérebro ou pescoço, chamado de trombose; a movimentação do coágulo para outra parte do corpo como do coração para o cérebro ou pescoço, chamado de embolia; ou um estreitamento severo de uma artéria no cérebro ou que vai para ele; chamado de estenose. O sangramento dentro do cérebro ou nos espaços que o envolvem causam o segundo tipo de acidente vascular cerebral, chamado derrame hemorrágico.

Quais são os sinais de alerta de um acidente vascular cerebral?

Os sinais de alerta são pistas que o corpo manda dizendo que o cérebro não está recebendo oxigênio suficiente. Caso você observe um ou mais desses sinais e sintomas de AVC chame um médico imediatamente.

* Súbita fraqueza e falta de sensibilidade na face, braços ou pernas, especialmente em um lado do corpo.
* Súbita confusão, dificuldade de falar e de compreensão.
* Súbita dificuldade para ver em um ou nos dois olhos.
* Súbita dificuldade de caminhar, tontura, perda de equilíbrio e de coordenação.
* Dor de cabeça súbita, muito severa e sem causa conhecida.

Outros sinais de perigo podem incluir visão dupla, sonolência, náusea ou vômito. Algumas vezes os sinais de aviso podem durar apenas alguns momentos e então desaparecer. Esses episódios breves, conhecidos como ataques isquêmicos transientes, são algumas vezes chamados de "mini-AVC". Embora breves, eles identificam condições subordinadas sérias que não vão ser curadas sem ajuda médica. Infelizmente, uma vez que os sinais vão embora, a maioria das pessoas os ignora.

Fatores de riscos para derrame cerebral tratáveis

* Pressão alta. Também chamada hipertensão, esse é de longe o fator de risco mais importante para AVC. Se a pressão estiver alta, é preciso traçar estratégias individualizadas para trazê-la aos níveis normais. Entre as medidas para baixar a pressão estão: manter o peso ideal, evitar medicamentos que possam elevar a pressão, diminuir a ingestão de sal, comer frutas e vegetais e praticar exercícios físicos. O médico também pode receitar medicamentos para abaixar a pressão. Controlar a pressão sanguínea também ajudará a evitar doenças cardíaca, diabetes e insuficiência renal.

* Fumo. Fumar tem sido associado ao acúmulo de gordura na carótida, a principal artéria no pescoço que supre sangue ao coração. O bloqueio dessa artéria é a principal causa de AVC nos Estados Unidos. Além disso: nicotina eleva a pressão arterial; monóxido de carbono reduz a quantidade de oxigênio que o sangue pode carregar ao coração; e fumar faz com que o sangue engrosse e tenha maior probabilidade de coagular. O médico pode recomendar programas e medicamentos para largar o fumo. Parar de fumar, a qualquer idade, também reduz o risco de doença pulmonar, doenças cardiovasculares e vários tipos de câncer incluindo o de pulmão.

* Doença cardíaca. Problemas cardíacos - como doença nas artérias coronárias, defeitos nas válvulas, arritmia cardíaca, e alargamento de uma das câmaras do coração - podem resultar em coágulos sanguíneos que podem bloquear vasos sanguíneos para o cérebro. O tipo mais comum de doença nos vasos sanguíneos, causada pelo acúmulo de depósitos de gordura nas artérias, é chamada aterosclerose. O médico tratará a doença e também pode prescrever medicamento, como aspirina, para ajudar a prevenir a formação de coágulos. O médico pode também recomendar cirurgia para limpar a artéria com coágulos.

* Sinais de alerta ou histórico de AVC. Caso a pessoa estiver experimentando um ataque isquêmico transiente deve procurar ajuda médica. Se a pessoa teve acidente vascular cerebral no passado é importante reduzir os riscos de um segundo AVC.

* Diabetes. A diabetes também causa alterações destrutivas nos vasos sanguíneos. Também, se os níveis de glicose no sangue estiverem altos no momento do AVC, geralmente o dano cerebral será mais grave e extenso.

Saiba mais:
AVC - Acidente Vascular Cerebral ou Derrame
AVC - Prevenção e diagnóstico do acidente vascular cerebral ou derrame
Fatores de risco, sinais e sintomas de um AVC ou derrame cerebral
Acidente vascular encefálico (AVE) - O que é, tipos, sintomas, tratamento
Tratamento do AVC - Acidente vascular cerebral ou derrame
Doença das artérias carótidas - Tratamento com endarterectomia carotídea e angioplastia carótida
Arritmia Cardíaca
Isquemia cerebral
Sintomas e Diagnóstico do Colesterol Alto
Coagulação Sanguínea Excessiva - O que é, Causas e Tratamento
Sinais e Sintomas de Coágulos Sanguíneos - Hipercoagulação do Sangue
Ataque isquêmico transitório ou Mini-AVC





 

Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Texto: National Institute of Neurological Disorders and Stroke
Tradução: copyright © 2007 por Helio Augusto Ferreira Fontes