Copacabana Runners

As famosas Dietas "descarboidratadas"

Alimentos com gorduras - National Cancer Institute Image Gallery

Numa sociedade onde o capitalismo impera e a obesidade cresce exponencialmente, a nova onda de dietas e produtos "low carb" (baixos teores de carboidratos) tornou-se uma enorme obsessão.

Incluem-se nessa categoria, as tão famosas Dietas do Dr. Atkins, da Zona e de South Beach. O que todas têm em comum é sua origem no país onde a população obesa é a que mais cresce no mundo: cerca de 65% dos norte americanos estão obesos. 

Tudo leva a crer que tantas dietas, manuais de emagrecimento, livros publicados, guias turísticos "descarboidratados", novos produtos nas gôndolas dos supermercados, sanduíches engordurados "low carb" levam a um único lugar: uma grande felicidade do comércio.

No Brasil, paralelo à desnutrição que ainda impera, cerca de 10% dos brasileiros adultos estão obesos, e outros 30% estão acima do peso saudável. Portanto, por volta de 50 milhões de pessoas deveriam perder peso para evitar as doenças crônicas não transmissíveis. Muitos se rendem aos modismos de emagrecimento que chegam por aqui e, sem sucesso, continuam a "engordar" a prevalência de obesidade no país. 

O grande perigo nisso tudo é que vemos em meios de comunicação de massa (TV, rádio, mídia impressa e eletrônica), profissionais da saúde "habilitados" tecnicamente colaborando na promoção e propagação de informações que colocam em risco a saúde da população.

Deus precisará criar um novo ser humano que funcione sem carboidrato e não desenvolva efeitos colaterais e seqüelas. Enquanto isso, os "experts" continuarão insistindo em vender suas manobras metabólicas para a queima de gordura sem esforço.

As dietas "low carb" alteram o paladar e reduzem o apetite devido à alta formação e concentração de corpos cetônicos no sangue (cetoacidose). Os corpos cetônicos são substâncias derivadas da utilização de gordura como principal fonte de energia. Nesse tipo de alimentação ocorre um desvio do metabolismo: ao invés do corpo utilizar carboidratos como fonte de energia são utilizadas as gorduras, só que a um custo fisiológico alto, pois ocorre o desequilíbrio bioquímico do organismo.

Uma alimentação rica em proteínas certamente também é rica em gorduras, que aliada à restrição de carboidratos e fibras solúveis, elevam os níveis de colesterol, prejudicam as artérias, coração, funcionamento cerebral, sobrecarrega o trabalho renal para eliminação da uréia e creatinina (metabólitos da degradação de proteínas), provoca desidratação, obstipação intestinal, hálito cetônico, náuseas e dor de cabeça. Ocorre ainda carência de vitaminas e minerais (fome oculta), predisposição ao risco para desenvolver cálculos biliares e câncer. Há perda significativa de músculos gerando flacidez e quem pratica esportes sente fadiga muscular, falta de ar e de energia.

Quando o objetivo é o emagrecimento, não há "fórmulas mágicas". Na maior parte das vezes, quando uma dieta nova é lançada, é quase que certo que os interesses econômicos que existem por detrás são bem maiores do que a promoção da Saúde Pública.

Lista de Dietas:
Dieta das frutas - Frutariana
Dieta de South Beach
Dieta de Atkins
Dieta Macrobiótica  
Dieta Paleolítica
Dieta do Mediterrâneo ou mediterrânea
Dieta de Atkins, o doutor tinha ou não razão?
Dieta do dr. Atkins - Riscos e benefícios
Dieta das Proteínas
Dieta da sopa
Dieta líquida
Dieta da Lua
Dieta dos pontos
Dieta vegetariana
Dieta do tipo sanguíneo
Dieta da Zona - 40-30-30
Dieta Depurativa - Desintoxicação ou desintoxicante
Dieta das combinações
Dieta hipocalórica de 800 calorias
Dieta da Linhaça para Emagrecer
Dieta da Clara de Ovo
Dieta Dukan - O que é, fases, efeitos colaterais
Dietas da moda - dieta do atum e USP
Dieta Tao - Taoísta
Dieta branda
Dieta Gracie
Dieta das calorias negativas
Dieta dos Vigilantes do Peso
Dieta dos Pontos da USP
Dieta dash
Dieta das calorias inteligentes
Dieta de Jesus
Dieta de Sonoma
Dietas Milagrosas - Dieta da água, banana, maçã, pão, suco de limão
Dieta do Abacaxi
A Dieta do Arroz
Dieta do Abdômen
Dieta das Notas
Dieta nota 10
Dieta Ortomolecular
Dieta Natural e Alimentos Naturais

 

É consenso entre os especialistas em Nutrição que, em hipótese alguma, deve-se responsabilizar um único nutriente ou alimento como causador da obesidade, mas sim um conjunto de comportamentos alimentares e de estilo de vida. A obesidade tem causa multifatorial.

No tratamento e prevenção da obesidade, é necessário equilibrar a ingestão de nutrientes, investir na variedade de alimentos (frutas, vegetais, grãos, cereais integrais), diminuir a ingestão de sal e açúcar, cuidar da qualidade e da quantidade da gordura ingerida.

Quando o objetivo é emagrecer a atenção deve estar voltada também para o Balanço Energético: calorias ingeridas e calorias gastas. Se a ingestão de calorias for maior do que o gasto energético, o resultado certamente é o aumento "silencioso" do peso corporal. 

Cada indivíduo é único e sua alimentação deve ser tão individual quanto suas particularidades físicas, clínicas, fisiológicas, hereditárias, psicológicas e sociais.

Saiba mais:
Dieta cetônica
Sem carboidrato a vida fica mais curta
C
arboidratos
Gorduras - ômega-3, ômega-6, colesterol, gordura mono-insaturada ...
Proteínas e Aminoácidos - Proteína vegetal x Proteína animal na dieta
Gordura Saturadas, Monoinsaturadas, Poliinsaturadas, Hidrogenadas, Trans, Ácidos graxos essenciais
Carboidrato
Emagrecer é diferente de perder peso
Programa Calorias Inteligentes de Reeducação Alimentar
Dietas saudáveis
Dietas Equilibradas
Dietas de Verão
Emagrecer para sempre
Regime alimentar para emagrecer - Regimes de emagrecimento populares
As dietas - Dieta de Beverly Hills, Atkins, da lua, do sangue



Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:




Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Texto © 2004 Por Drª Marília Fernandes
Drª Marília Fernandes elabora Planos Alimentares Personalizados. Para contratar seus serviços de consultoria nutricional entre em contato através do e-mail mariliac_fernandes@hotmail.com
Nutricionista - CRN3/1693 
Especialista em Nutrição Esportiva pelo CEMAFE/UNIFESP
Especialista em Nutrição em Saúde Pública pela UNIFESP
19 anos de experiência em Nutrição e Alimentação
Consultora Nutricional Pessoal e de Empresas nas áreas de Educação Alimentar, Qualidade de Vida e Bem Estar, Nutracêutica, Estética, Longevidade Saudável, Esportes, Marketing Alimentício e Saúde Ocupacional.

"As informações fornecidas não são individualizadas. Portanto, o nutricionista deve ser consultado antes de se iniciar um tratamento e/ou acompanhamento nutricional."

Referências bibliográficas
1. CANTERO, N.M. - Carboidratos X Calorias: a briga continua. Agência EFE, 20 de maio de 2004.
2. ABBOTT, C. - Para emagrecer, especialistas dos EUA recomendam desligar a TV. Reuters, 28 Maio de 2004. 
3. VARELLA, D. - Controle do apetite. Folha de São Paulo, 29 de maio de 2004.
4. AMERICAN HEART ASSOCIATION - American Heart Association Statement on High-Protein, Low-Carbohydrate Diet Study Presented at Scientific Sessions. 11/19/2002.
5. AMERICAN HEART ASSOCIATION - High-protein diets not proven effective and may pose health risks. 10/08/2001.
6. MAHAN, K. - Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 8ª Ed., 1995.
7. MAYO CLINIC - Low-carbohydrate diets: Are they safe and effective? March 16, 2004.
8. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA - III Diretrizes Brasileiras Sobre Dislipidemias e Diretriz de Prevenção da Aterosclerose do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia. 23 de agosto de 2001.
9. CUPPARI, L. - Nutrição clínica no adulto. Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar. UNIFESP/Escola Paulista de Medicina. São Paulo: Manole, 2002.
10. ANGELIS, R.C. de - Fome Oculta: Impacto para a população do Brasil. São Paulo: Atheneu, 1999.
11. WHO - Diet and physical activity: a public health priority. May 2004 World Health Assembly.