Doença de Parkinson: Entendendo uma condição complicada

Senhor com doença de Parkinson sendo aparado - NIH

Dependemos do nosso cérebro em cada movimento que fazemos, seja escrevendo, caminhando, falando e até dormindo. Porém, um transtorno cerebral sério como a doença de Parkinson pode roubar da pessoa a capacidade de desempenhar tarefas cotidianas que muito de nós não dá valor. 

Não há cura para a doença de Parkinson, mas tratamentos podem ajudar. Pesquisas continuam buscando novos conhecimentos para melhorar os cuidados médicos para a doença de Parkinson.

Sintomas da doença de Parkinson

A doença de Parkinson progride gradualmente. Os primeiros sinais podem quase não ser notados. Os movimentos da pessoa podem mudar um pouco. Você pode notar lentidão, rigidez ou dificuldade para caminhar ou se equilibrar. Pode faltar expressividade na face da pessoa, ou a escrita à mão pode ficar pequena e apinhada. 

PUBLICIDADE

Eventualmente essas mudanças podem ficar mais severas e interferir na vida cotidiana. Pode ficar mais difícil para dormir, raciocinar, comer, falar, cheirar e tomar decisões. À medida que a doença piora, os sintomas podem ficar difíceis de controlar.

A doença de Parkinson geralmente aparece depois do 50 anos de idade, mas pode ocorrer mais cedo. Ela é uma doença neurodegenerativa, o que significa que as células cerebrais gradualmente param de funcionar e morrem. A doença danifica as células cerebrais que fabricam um elemento químico chamado dopamina. A falta de dopamina ocasiona problemas na movimentação e tremores que caracterizam a doença de Parkinson.

Causas da doença de Parkinson

Embora os pesquisadores ainda não saibam o que causa a doença de Parkinson, os genes provavelmente desempenham alguma influência.

PUBLICIDADE

Alguns genes foram associados ao risco de desenvolver a doença de Parkinson. “Examinar a fundo a genética da doença está fornecendo pistas sobre a sua biologia”, diz Dra. Beth-Anne Sieber, especialista em doença de Parkinson. 

Porém, os genes são apenas parte do cenário. Cientistas estão procurando outros fatores que podem causar a doença. Um objetivo dos pesquisadores é descobrir novos alvos para medicamentos que posaam retardar o desenvolvimento da doença.

Se você notar qualquer um dos sinais comuns da doença de Parkinson, procure um neurologista. Exame cuidadoso e certos testes podem ajudar com o diagnóstico.

Tratamento para a doença de Parkinson

Para tratar a doença de Parkinson, o médico prescreve combinações de medicamentos que funcionam regulando a dopamina no cérebro. Isso ajuda a pessoa a se movimentar melhor e diminui os tremores característicos da doença.

Um procedimento cirúrgico chamado estimulação cerebral profunda é uma opção para alguns pacientes. Nessa terapia, um sistema similar a marcapasso é colocado em áreas do cérebro que controlam movimento.

Pesquisas sugerem que alimentação saudável e exercícios físicos podem ajudar a reduzir os postergar os sintomas da doença de Parkinson. Cientistas estão estudando que quantidade e tipos de exercícios mais ajudam a saúde e qualidade de vida do paciente.

Saiba mais:
Doença de Parkinson - O que é esse mal, sintomas, tratamento
Doença de Parkinson - Tratamento, sinais e sintomas
Exercício físico pode combater Mal de Parkinson
Neurotransmissores serotonina, dopamina, noradrenalina
Síndrome das Pernas Inquietas - Tipos, causas e tratamento
Hidrocefalia - Sintomas e causas
Benefícios do café para a saúde


PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2014, Hélio Augusto Ferreira Fontes
Texto: NIH - National Institutes of Health