Copacabana Runners

Herpes - Contágio e prevenção

DST - CDC/ Maureen Metcalfe, Tom Hodge

O contágio de herpes se dá através do contato direto com a pele, não necessariamente na área genital, de uma pessoa infectada, e menos freqüentemente por contato indireto, como compartilhar batom. 

O vírus viaja através de aberturas minúsculas na pele ou por áreas úmidas, porém os sintomas podem não aparecer por mais de um mês depois da infecção. 

Achava-se que o contágio era mais comum durante o período ativo do vírus no qual há formação de feridas, porém no início da década de 80 descobriu-se que o vírus pode ser transmitido na ausência de sintomas. Estima-se que entre 50-80% dos novos casos de infecções de herpes tipo 2 sejam através de contágio na ausência de sintomas.

A freqüência da transmissão é maior nos primeiros 12 meses após a infecção pelo vírus herpes tipo 2. Deve-se sempre evitar relações sexuais quando aparecerem lesões de herpes e sexo oral com pessoas com lesões na boca para evitar a transmissão do herpes tipo 1 para os genitais. 

Mesmo sem sintomas a transmissão pode ocorrer. Muitas pessoas acreditam que herpes não pode ser transmitido através do sexo oral, o que é um mito perigoso. Mulheres são mais propensas a adquirir infecção genital de herpes tipo 2 do que homens. 

Prevenção da contaminação por herpes

A terapia anti-viral ajuda a diminuir a probabilidade de transmissão do herpes e auxilia na prevenção do desenvolvimento dos sintomas. O uso de preservativos, embora não totalmente efetivo, reduz o risco de contágio em torno de 50%, mas é bem mais eficiente na prevenção do contágio do homem para a mulher do que vice-versa. 

A combinação de terapia anti-viral com uso de preservativos reduz em torno de 75% o risco de transmissão. Preservativos não são totalmente eficientes na prevenção do herpes porque algumas bolhas e feridas podem não ser cobertas.

Outras medidas que sugeridas para diminuição do risco de contágio são:
* Controle do estresse.
* Sono e nutrição adequada.
* Evitar a infecção de outros lugares do corpo quando as bolhas do herpes estiverem presentes.

O herpes poderia ser transmitido através de objetos como assentos sanitários ou toalhas molhadas, mas as condições necessárias para esse tipo de transmissão a fazem muito improvável. Embora não haja casos confirmados desse tipo de contágio, deve-se evitar compartilhar toalha com alguém com lesões de herpes ativas. Da mesma forma, aconselha-se evitar compartilhas produtos para lábio e boca como batom, escova de dente e outros.

Saiba mais:
Herpes genital tem cura? Como prevenir e tratamento
Herpes genital masculina e feminina - O que é, causas, diagnóstico, transmissão
Herpes - Cura e tratamento
Herpes simplex - Labial, neonatal, genital, tipo 1 e 2 - Sintomas
Herpes Labial - Remédio, como tratar
Uso da camisinha e comportamento sexual seguro
Sono e doenças
Estresse e sua saúde
Doenças sexualmente transmissíveis - DST
DSTs na gravidez
DSTs - Testes, diagnóstico, tratamento e prevenção
DSTs mais comuns, sintomas
Tipos de DST
Molusco contagioso - O que é, como evitar, tratamento





Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


comments powered by Disqus

Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2006, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Este artigo está licenciado sob a GNU Free Documentation License (www.gnu.org/copyleft/fdl.html). Usa material do artigo da Wikipédia "Herpes" (en.wikipedia.org/wiki/Herpes).


© 1999-2013 Helio A. F. Fontes
Utilização de material original do site

Copacabana Runners - Atletismo e Maratonas