Copacabana Runners

Aumento da próstata - Hiperplasia prostática benigna

Por que ocorre hiperplasia prostática benigna ou aumento da próstata

É comum que a glândula próstata aumente à medida que o homem envelhece. Os médicos chamam esse aumento da próstata de hiperplasia prostática benigna. À medida que o homem amadurece, a próstata passa por dois principais períodos de crescimento. 

O primeiro período de aumento da próstata ocorre na puberdade, quando ela dobra de tamanho. Por volta dos 25 anos de idade a próstata começa a crescer de novo, e isso pode resultar, vários anos depois, em hiperplasia prostática benigna. Apesar da próstata aumentar durante a maior parte da vida do homem, isso geralmente não causa problemas até bem mais tarde na vida. A hiperplasia prostática benigna raramente causa sintomas antes dos 40 anos de idade, porém mais de metade dos homens na casa dos 60 anos e 90% dos com mais de 70 anos apresentam sintomas.

À medida que a próstata aumenta, o camada do tecido que a reveste pára de expandir, fazendo com que a glândula pressione contra a uretra. A parede da bexiga fica engrossada e irritável. A bexiga começa a contrair até quando contém pequena quantidade de urina, fazendo a pessoa urinar mais freqüentemente. Eventualmente, a bexiga enfraquece e perde a capacidade de se esvaziar, ficando com alguma urina retida. O estreitamento da uretra e esvaziamento parcial da bexiga causa muitos do problemas associados à hiperplasia prostática benigna. 

Muitas pessoas sentem-se desconfortáveis ao falar sobre a próstata, uma vez que essa glândula desempenha papel tanto no sexo como no ato de urinar. Ainda assim, o aumento da próstata é uma parte tão comum do envelhecimento quanto os cabelos grisalhos. À medida que a expectativa de vida aumenta, eleva-se também a ocorrência de hiperplasia prostática benigna.

Sintomas do aumento da próstata ou hiperplasia prostática benigna

Muitos sintomas da hiperplasia prostática benigna têm origem na perda gradual de função da bexiga e obstrução da uretra, o que resulta no esvaziamento incompleto da bexiga. Os sintomas da hiperplasia prostática benigna variam, porém os mais comuns envolvem alterações ou problemas ao urinar, como:
* Fluxo de urina interrupto ou fraco.
* Gotejamento de urina.
* Urinar mais freqüentemente, especialmente à noite.

O tamanho da próstata nem sempre determina a gravidade da obstrução, ou como serão os sintomas. Alguns homens com aumento bastante acentuado da próstata têm pouca obstrução e menos sintomas, enquanto outros com a glândula menos aumentada têm mais obstrução e sintomas maiores. Algumas vezes o homem não sabe que tem qualquer obstrução até que subitamente descubra que não consegue urinar. Essa condição, chamada de retenção urinária aguda, pode ser engatilhada por medicamentos contra alergia ou gripe que contenham anticongestionante.

É importante informar ao médico sobre os problemas urinários. Em 8 de cada 10 casos, esses sintomas sugerem hiperplasia prostática benigna, mas também podem sinalizar outras condições mais sérias que requerem tratamento imediato. Essas condições, que incluem câncer de próstata, podem ser eliminadas somente pelo exame médico.

A hiperplasia prostática benigna pode causar problemas sérios com passar do tempo. A retenção de urina e força sobre a bexiga podem ocasionar infecções do trato urinário, danos à bexiga ou rins, cálculo renal e incontinência urinária. Se a bexiga for permanentemente danificada, o tratamento para a hiperplasia prostática benigna pode ser ineficiente. Quando a hiperplasia prostática benigna for descoberta nos estágios iniciais, há menor risco de desenvolver tais complicações.

Diagnóstico da hiperplasia prostática benigna

A pessoa pode notar os sintomas da
hiperplasia prostática benigna por si mesma, ou o médico pode descobrir o aumento da próstata durante um check-up de rotina. Quando há suspeita de hiperplasia prostática benigna, o paciente pode ser encaminhado a um urologista, que é um médico especializado em problemas no trato urinário e sistema reprodutor masculino. Vários testes ajudam o médico a fazer o diagnóstico e decidir se há necessidade de cirurgia. Os testes variam de pessoa para pessoa, mas os mais comuns são:

* Teste do toque retal. Esse exame geralmente é o primeiro teste a ser feito. O médico insere um dedo com luva no reto e sente a parte da próstata perto deste. Esse exame dá ao médico um idéia geral do tamanho e condição da próstata.

* Teste de sangue antígeno específico da próstata (PSA). Para eliminar o câncer como causa dos sintomas urinários, o médico pode recomendar um teste de sangue antígeno específico da próstata (PSA).

* Ultrasom retal e biópsia da próstata. Se houver suspeita de câncer de próstata, o médico pode recomendar ultrasom retal. Para determinar se uma área com aparência anormal é de fato um tumor, o médico pode coletar alguns pedaços do tecido da próstata para biópsia.

* Estudo do fluxo de urina. O médico pode pedir para o paciente urinar em um aparelho que mede a velocidade do fluxo da urina. Um fluxo mais lento pode sugerir hiperplasia prostática benigna.

* Cistoscopia. Nesse exame o médico insere um pequeno tubo através da abertura da uretra para dentro do pênis. Esse tubo, chamado cistoscópio, contém uma lente e sistema de iluminação que ajudam o médico a ver dentro da uretra e a bexiga. Esse teste permite ao médico examinar o tamanho da próstata e identificar a sua localização e grau da obstrução.

Tratamento do aumento da próstata ou hiperplasia prostática benigna

Homens que têm hiperplasia prostática benigna com sintomas geralmente precisam de algum tipo de tratamento em alguma época. Porém, vários pesquisadores têm questionado a necessidade de tratamento prematuro quando o aumento da próstata é apenas moderado. Uma vez que a hiperplasia prostática benigna pode causar infecções no trato urinário, o médico geralmente eliminará qualquer infecção com antibióticos antes de tratar o próprio aumento da próstata. Embora a necessidade de tratamento geralmente não seja urgente, o médico costuma aconselhar seguir com tratamento assim que os problemas fiquem inconvenientes ou representem risco à saúde. 

A maioria dos médicos recomenda a remoção da parte aumentada da próstata como a melhor solução a longo prazo. Com a cirurgia para hiperplasia prostática benigna somente a parte do tecido da próstata que está pressionado contra a uretra é removida. A cirurgia geralmente alivia a obstrução e esvaziamento incompleto da bexiga provocados pela hiperplasia prostática benigna.

Função sexual depois da cirurgia para hiperplasia prostática benigna

Muitos homens tem a preocupação se a cirurgia para
hiperplasia prostática benigna afetará usa capacidade sexual. Algumas fontes declaram que a função sexual raramente é afetada, enquanto outras afirmam que pode causar problemas em até 30% dos casos. Porém, a maioria dos médico diz que, ainda que leve um tempo para a função sexual retornar plenamente, com o tempo a maioria dos homens consegue apreciar o sexo novamente. A recuperação completa da função sexual pode levar até 1 ano. O tempo exato da recuperação depende do tipo de cirurgia e em quanto tempo depois de aparecerem os sintomas ela foi feita.


 


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus

Artigos relacionados:
Prostatite crônica e aguda
Aumento de próstata - Tratamento com laser
Toque retal e psa da próstata - Exames
Aumento da próstata - Hiperplasia prostática benigna
Linfonodos ou gânglios linfáticos
Câncer de próstata - Sintomas, tumores benignos e malignos
Tamanho da próstata e sua função
Aumento de próstata - Tratamento com laser
Toque retal e psa da próstata - Exames
Câncer de próstata - Tratamento
Impotência Sexual - Promessas dos tratamentos
Viagra falso
Alimentos Afrodisíacos
Causas da disfunção erétil - obesidade, fumo e sedentarismo
Levitra
Viagra - Sildenafil
Iohimbina - Estimulante sexual, para emagrecer, efeitos colaterais
Cialis - Tadalafil
Atividade Física Melhora a Disfunção Erétil
Disfunção sexual
Disfunção erétil - impotência sexual masculina - Tratamento, Viagra, sintomas, causas, diagnóstico, diabetes
Vasectomia - Reversão, masculinidade e outros mitos
Cirurgia de vasectomia
Inseminação Artificial
Fertilização in vitro - Bebê de proveta
Fertilidade Feminina
Fertilidade e infertilidade - Tratamentos e causas
Tratamento da infertilidade - Reprodução assistida, testes, remédios e cirurgia
Efeitos dos anabolizantes
Tipos de anabolizantes
Esteróides anabolizantes - Deca durabolin ou nandrolona
Esteróides Anabolizantes
Fratura do Pênis
Faloplastia
Aumento peniano
Alongamento peniano - Tamanho do pênis - Cirurgias para aumento do pênis
Dor na Relação Sexual e Saúde Sexual Feminina
Disfunção Erétil, Impotência Sexual e Frigidez Feminina
Infertilidade masculina - Varicocele
Câncer de pênis
Prostatite
Incontinência urinária infantil
Incontinência urinária - Perda de controle da bexiga
Retenção urinária - Sintomas e diagnóstico
Retenção urinária - Tratamento
Retenção urinária aguda e crônica - O que é, causas
Hematospermia ou sangue no esperma
Sangue na urina ou hematúria
Doenças sexualmente transmissíveis - DST
Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2008 Helio Augusto F. Fontes
Texto:
National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse