Época do ano para treino de base

Pergunta: Em que época do ano deve-se fazer a base?

Hidratação no esporte - CDC/ Amanda Mills

Resposta do Professor Carlos Gomes Ventura

A programação de um corredor de fundo pode variar de técnico para técnico, cada técnico tem sua forma de planejamento.

O fundamental na minha forma de trabalho é uma periodização comum, durante 12 meses, como a maioria dos técnicos fazem,
estabeleço período competitivo duas vezes por ano (julho/dezembro), o período competitivo 1 e principal é o de dezembro visando a São Silvestre, onde o rendimento do corredor deve se aproximar dos 80 a 90% de sua capacidade.

No mês de julho estabeleço o período competitivo 2 onde o rendimento do corredor para uma prova importante pode ser de 60 a 70%.

O período de base do corredor é no inicio do ano em Janeiro/ Fevereiro após o principal evento no meu caso a São Silvestre, o corredor repousa com atividades lúdicas (nadando, jogando volley, futebol) e corridas diarias de 20 minutos apenas.

Carlos Gomes Ventura (Carlão) blog, Telefone: (11)3686-5384, e-mail

Livro
Manual do Corredor - A Grande Pirâmide

Manual do corredor - Carlos Ventura - clique aquiCarlos Ventura é um dos treinadores brasileiros de maior sucesso. Em seu novo livro, Carlão responde às indagações mais comuns entre nós corredores. A sabedoria de décadas de experiência do Carlão são passadas de forma simples e clara para corredores de todos os níveis de performance.
Saiba mais sobre o livro...

PUBLICIDADE

Resposta do treinador Nilson Duarte Monteiro

No Brasil fazemos tudo ao contrário, mas por causa do calendário esportivo do hemisfério norte. Numas modalidades do atletismo somos beneficiados por isso, porém, em outras somos prejudicados. Então vamos lá:

Nas provas de velocidade arremessos e saltos, somos beneficiados pelo clima, ou seja, nessas provas o que vale é a explosão, então quanto mais quente o clima melhor para aquecer, enquanto que no hemisfério norte esse pessoal tem que treinar em ginásios cobertos por causa do frio, chuva, etc. Por isso que muitos países mandam seus velocistas, arremessadores e saltadores fazerem a base nos países do hemisfério sul, para terem um melhor aproveitamento nos treinamentos de base.

Já nas provas de meio-fundo e fundo somos prejudicados, pois nossa base é feita em pleno verão daqui, enquanto que o pessoal do norte desfrutam de temperaturas amenas, o que os levam a exigir mais do corpo cm menor desgaste e melhor rendimento nos treinos.

Aqui no Brasil, ou melhor, no hemisfério sul, a base é feita no verão para acompanhar o calendário do norte. Assim, o treinamento de base fica um pouco prejudicado, pois as temperaturas estão na estratosfera, o desgaste do organismo é tremendo, porque a maioria não se dá conta disso e faz quase que a mesma carga que o pessoal lá de cima.

Por isso que eu canso de dizer que para os corredores de rua, amadores ou profissionais que não participam do calendário do hemisfério norte, ou seja, só participam de corridas no Brasil, a base deveria ser feita no nosso inverno, para que se possa tirar todo proveito do treinamento. Mas não, neguinho treina em horário impróprio, tentam fazer a mesma carga de treino do pessoal lá de cima e não repõem em matéria de alimentação o que se perdeu no treino. Resultado, um desgaste acima do normal e muitas vezes o overtraining.

Se muitos atletas de fundo e meio fundo não podem ir fazer a base no hemisfério norte para acompanhar o calendário de lá e, terá que fazer a base por aqui, deveriam ter um acompanhamento nutricional pesado, acordar com as galinhas para pegar o melhor horário do nosso verão para ter um melhor aproveitamento do treino.

É isso. Nossos fundistas são prejudicados na base por acompanhar o calendário do hemisfério norte, ou aprender a fazer a base sem copiar os que os caras lá de cima fazem, ou seja, adaptar-se a realidade de um país tropical.


PUBLICIDADE

Resposta do Professor Luis Tavares

Sempre no inicio de uma periodização de treinamento anual. Ou seja se o treinador em uma periodização de treino utiliza um ciclo, o certo seria janeiro, fevereiro e março, com uma variação de 6 a 8 semanas.

Se o treinador utiliza dois ciclos como é meu caso onde faço a base no inicio do ano e outra no meio (mais curto) do ano. Dessa forma, deixo os atletas motivados e em forma.

A base como próprio nome diz, é o alicerce , e o que dará suporte para uma boa temporada. Se não tiver bem estruturado o atleta poderá se machucar no transcorrer do ano. Imagine um prédio em construção, ela terá que ter uma boa base de sustentação, senão ela desmorona, mesmo caso da corrida. Por isso utilizo no inicio do ano, dando uma boa preparação e outra no meio do ano, com reforço e sustentabilidade para o resto do ano.

Professor Luis Tavares
Telefone: (11)3159-8456 - e-mail: e.c.tavares@uol.com.br - site: http://www.ectavares.com.br

Saiba mais:
Treinamento de base
Fases de treinamento de corredores, Periodização
Correndo no Calor, dicas e precauções
Competições preparatórias
Desidratação, Calor e Exercícios Físicos
Precauções dos corredores ao treinar no calor?
Aclimatação de Atletas
Perigos da desidratação
Periodização do treinamento
Existe um método ideal de treinamento para corredores de fundo?
Dicas para quem vai participar pela primeira vez de uma corrida cross country


PUBLICIDADE


Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

VoltarVoltar