Copacabana Runners

Radioterapia

Radioterapia - National Cancer Institute Image Gallery

O que é radioterapia

A radioterapia é o uso médico de radiação ionizante como parte do tratamento do câncer para controlar células malignas. Radioterapia pode ser usada como tratamento paliativo (quando a cura não é possível e o objetivo é controle local da doença e alívio dos sintomas) ou como tratamento terapêutico (quando a terapia pode ser curativa). Radioterapia também tem aplicações em condições não-malignas, porém seu uso nesses casos é limitado em parte pelas preocupações sobre o risco de câncer induzido por radiação. Radioterapia pode ser utilizada como terapia principal no tratamento do câncer. Também é comum combinar radioterapia com cirurgia, quimioterapia, terapia hormonal ou alguma mistura dos três. Os tipos mais comuns de câncer podem ser tratados com radioterapia de alguma forma.

Mecanismo de ação da radioterapia

A radioterapia funciona danificando o DNA das células. As células cancerosas se reproduzem mais, porém têm menor capacidade de reparar danos comparadas à células sadias. O dano ao DNA é herdado através da divisão celular, acumulando os danos a outras células cancerosas, fazendo elas morrerem ou reproduzirem mais lentamente. Uma das principais limitações da radioterapia é que as células de tumores sólidos ficam deficientes em oxigênio, o que as torna mais resistentes aos efeitos da radiação, uma vez que oxigênio torna os danos ao DNA permanentes.

Efeitos colaterais da radioterapia

A radioterapia não provoca dor por si mesma. Muitos tratamentos paliativos de baixa dose causam efeitos colaterais mínimos. Tratamentos com doses mais altas causam vários efeitos colaterais durante o tratamento (efeitos colaterais agudos), nos meses ou anos seguintes ao tratamento (efeitos colaterais de longo prazo) ou depois de repetir o tratamento (efeitos colaterais cumulativos). A natureza, gravidade e duração dos efeitos colaterais depende dos órgãos que receberam a radiação, do tipo de tratamento, e do paciente. A maioria dos efeitos colaterais é previsível e esperado. Efeitos colaterais da radiações geralmente são limitados à área do organismo sob tratamento.

Efeitos colaterais agudos da radioterapia

* Danos às superfícies epiteliais como pele, mucosa oral, da faringe, e dos intestinos, urotélio, etc. As taxas de danos e recuperação variam. Tipicamente a pele começa a ficar rosada e ferida com várias semanas de tratamento. A reação pode ficar mais severa durante o tratamento e até1 semana depois do final da radioterapia, e a pele pode rasgar. Embora isso possa ser desconfortável, a recuperação é geralmente rápida. As reações da pele tendem a ser piores em áreas com dobras naturais, como abaixo do seios femininos, atrás da orelha e na virilha.

Similarmente, os revestimentos da boca, garganta, esôfago e intestinos podem ser danificados pela radioterapia. Se a cabeça e pescoço forem tratados, feridas e ulceração temporárias ocorrem comumente na boca e garganta. O esôfago também pode ficar ferido se for tratado diretamente ou receber dose de radiação colateral durante o tratamento de câncer de pulmão.

O intestino inferior pode ser tratado diretamente pela radioterapia (tratamento de câncer no reto ou no ânus) ou pode ser exposto pelo tratamento de estruturas pélvicas (próstata, bexiga, trato genital feminino). Sintomas típicos são feridas, diarréia e náusea.

* Inchaço. Como parte da inflamação geral que ocorre, inchaço dos tecidos moles pode causar problemas durante a radioterapia. Essa é uma preocupação durante o tratamento de tumores e metástases no cérebro, especialmente onde há pressão intracranial pré-existente ou onde o tumor estiver causando obstrução quase total de um lúmen (traquéia ou brônquios). Nestes casos, intervenção cirúrgica deve ser considerada antes do tratamento com radioterapia. Caso a cirurgia seja inapropriada, o paciente pode receber esteróides durante a radioterapia para reduzir o inchaço.

* Infertilidade. Os ovários e testículos podem ser bem sensíveis à radiação. Eles podem não ser capazes de produzir gametas depois da exposição à doses mais normais de tratamento com radiação.

* Fadiga geral.

Efeitos colaterais a médio e longo prazo da radioterapia

* Fibrose. Tecidos que receberam radiação tendem a ficar menos elásticos com o tempo.

* Perda de cabelos. Esse efeito é mais pronunciado em pacientes que receberam radioterapia no cérebro. Diferente da queda de cabelos decorrente da quimioterapia, a da radioterapia tem maior probabilidade de ser permanente, porém tem mais chances de ser limitada à área tratado pela radiação.

* Secura. As glândulas salivares uma dose de tolerância menor que de a dose de radiação empregada nos tratamentos mais radicais de câncer na cabeça ou pescoço. Boca seca e olhos secos podem ser problemas de longo prazo irritantes e reduzem a qualidade de vida do paciente. Similarmente, glândulas sudoríparas na pele tratada tendem a parar de funcionar, e a naturalmente úmida mucosa vaginal fica geralmente seca depois de irradiação pélvica.

* Fadiga. A fadiga está entre os sintomas mais comuns da radioterapia, e pode variar de alguns meses a anos, dependendo do tratamento e do tipo de câncer. Falta de energia, atividade reduzida e sensação de cansaço são sintomas comuns.

* Câncer. A radiação é uma causa potencial de câncer. O câncer secundário acontece em uma pequena minoria de pacientes, geralmente muitos anos depois do tratamento com radiação. Na grande maioria dos casos, o risco é fortemente suplantando pelos benefícios do tratamento do câncer primário.

Efeitos colaterais cumulativos da radioterapia

Os efeitos cumulativos da radioterapia não devem ser confundidos com os de longo prazo --- quando os efeitos de curto prazo desapareceram e os de longo prazo são subclínicos, o retorno do tratamento com radiação ainda pode ser problemático.



 

Gostou desse artigo? Então você pode recomendá-lo com o Google +1:


Assine o nosso boletim e saiba quando forem publicados artigos
Seu e-mail aqui:

Oferecido por FeedBurner

comments powered by Disqus

Artigos relacionados:
Alopecia - Calvície masculina e feminina
Luta contra o Câncer - Alimentação e hábitos alimentares
Colesterol e câncer de próstata
Câncer de pele
Câncer de Boca
Alimentação no combate ao câncer de próstata
Carne vermelha e câncer de cólon
Reposição hormonal e risco de câncer de mama
Próstata e alimentação - Problemas, doenças, prostatite, câncer
Extrato de chá verde contra o câncer
Guaraná contra o câncer
Ginseng brasileiro pode combater o câncer
Óleo de oliva protege contra câncer de mama
Cenoura - Cenouras podem prevenir câncer
Promessas de Curas Milagrosas de Câncer, AIDS, Artrite
Reposição hormonal e risco de câncer de ovário
Dicas para evitar o câncer
Mastalgia - Dor nos Seios
Mamografia - o que é, informações sobre mamografias
Check-up médico para a mulher
Câncer de colo do útero ou cervical - Causas e fatores de risco
Câncer cervical ou de colo do útero - Sintomas, detecção e diagnóstico
Câncer de colo do útero ou cervical - Tratamento com cirurgia, radioterapia e quimioterapia
Teste de Papanicolau
Síndromes de falhas herdadas de medula óssea
Transplante de medula óssea
Células tronco - Fontes alternativas
Uso de células tronco
Doação de medula óssea - Tornando-se um doador
Câncer Pulmonar - Tratamento
Câncer Pulmonar - Sintomas e Diagnóstico
Câncer Pulmonar - O que é, tipos, causas e prevenção
Câncer de Pulmão
Metástase - O que é câncer metastático e tratamento
Quadrantectomia e mastectomia - Cirurgias para câncer de mama
Cirurgia de reconstrução de mama - Reconstrução mamária com implante e com expansor de tecidos
Câncer de mama - Fatores de risco
Câncer de Mama - diagnóstico e tratamento
Pólipos do intestino grosso ou do cólon
Histeroscopia cirúrgica e diagnóstica
Câncer colorretal - Sintomas, diagnóstico e tratamento
Pólipos colorretais e câncer colorretal
Pólipos endometriais ou uterinos
Colonoscopia
Câncer de intestino ou colo-retal
Câncer de pele - O que é, tipos
Câncer de pele - Causas e fatores de risco
Câncer de pele - Sintomas, sinais e diagnóstico
Câncer de pele - Tratamento e cura
Câncer de pele tipo melanoma
Câncer de pele - Carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma
Câncer de endométrio
Câncer de pênis
Leucemia linfóide aguda em crianças - Tratamento
Leucemia linfóide aguda em crianças
Leucemia mielóide aguda
Causas da leucemia e fatores de risco
Sintomas da leucemia e diagnóstico
Tratamento para leucemia
Leucemia - O que é, tipos
Leucócitos e Leucopenia
Quimioterapia
Vômito e Náusea
Tratamento da infertilidade - Reprodução assistida, testes, remédios e cirurgia
Endometriose - O que é, sintomas
Endometriose - Gravidez, tratamento, tem cura?
Fadiga
Quimioterapia - O que é, tipos
Cansaço e fadiga

Use a busca abaixo para encontrar o que deseja em mais de 5 mil páginas sobre esporte, saúde e bem-estar:

Créditos:
Tradução: © 2008, Hélio Augusto Ferreira Fontes.
Este artigo está licenciado sob a GNU Free Documentation License (www.gnu.org/copyleft/fdl.html). Usa material do artigo da Wikipédia "Radiation therapy" (en.wikipedia.org/wiki/Radiation_therapy).